quarta-feira, 22 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Projecto eTwinning

Durante o ano lectivo 2008/2009, a turma C1, do 11º ano, sob a coordenação da professora Ana Cristina Matias, desenvolveu um Projecto de Partilha de Referências Literárias e Culturais, envolvendo as disciplinas de Português e de Inglês.
Por 2008 ser o ano da comemoração do quarto centenário do nascimento do Padre António Vieira e por este ser um autor previsto no Programa de Português, foi esse o nosso objecto de estudo. Partilhámo-lo com uma turma de Inglês nossa parceira do Liceum nº. 18, em Szczecin, Polónia, que nos enviou um trabalho sobre «Polish Sarmatian and his world in the 17th century». As apresentações electrónicas encontram-se na página da nossa escola (http://www.estavira.com/) e aqui deixamos o link para assistir ao vídeo elaborado nesse âmbito:

http://www.youtube.com/watch?v=SDOZ_ILCAXY

domingo, 19 de julho de 2009

Aos amigos


Surgimos aqui e acolá sem saber o que são emoções, reacções, sentimentos, cheiros e tudo o que nos rodeia. Após começarmos a tentar compreender tudo à nossa volta, iniciamos uma subida a todos os céus. Subimos com a expectativa de nunca vir a conhecer o sabor da queda. Conhecemos mundos alheios que são postos à disposição de um simples e ternurento sorriso. Aproveitamos todos os momentos e mais alguns para chegar ao cume mais alto de nós próprios: a felicidade em estado bruto.
São esses os momentos que nos diferenciam de todos os outros, por muito parecidos que sejam. Aproveitamos as cores do arco-íris, o cheiro das flores, a textura dos alimentos e a frescura da água para nos sentirmos bem connosco próprios.
Mas, no entanto, necessitamos do aconchego daquele abraço caloroso de um amigo num momento em que as palavras não conseguem atravessar a traqueia.
Somos aquilo que quisermos ser, desde que não nos falte o abraço, a palavra, o momento, o sentimento e o sorriso de um amigo. Com este mesmo amigo voamos por céus abandonados, corremos por caminhos incertos e nadamos em águas nunca exploradas.
Sentimentos superiores à amizade existem mas é este que nos fortalece por dentro e tem o poder de nos tornar pessoas mais propícias ao carinho, sem estar implícita uma relação amorosa.

Por isso dedico este retalho de nada àqueles que são especiais e que me prendem no seu mundo pelos momentos, pelas palavras, pelos sorrisos, pelas caras feias e pela amizade que transmitem não só em momentos melancólicos mas em todos os momentos.
Obrigada.

SORAIA LÁZARO

Visita de Estudo à Igreja de Santa Maria e ao Convento da Graça

No dia 21 de Maio, a turma de Técnicos de Multimédia, 1º ano, efectuou uma visita de estudo à Igreja de Santa Maria e ao Convento da Graça.

Com a presença de um guia, percorremos a Igreja de Santa Maria. Esta é a Igreja matriz da cidade de Tavira. Igreja que terá sido construída no séc. XIII, quando a cidade foi conquistada aos mouros, por D. Paio Peres Correia, e que se diz que foi construída para substituir uma mesquita árabe. Sendo o gótico o seu estilo original, também se pode visualizar o estilo manuelino no seu interior.
Esta Igreja foi abalada por um terramoto em 1755 que a destruiu parcialmente, apenas sobrando uma janela de influência árabe e talvez a torre sineira. Tem um dos portões mais belos do estilo gótico e também podemos observar na fachada vários elementos da época.
O interior da igreja é constituído por três naves, tem a capela-mor onde se encontram os túmulos dos sete cavaleiros da Ordem de Santiago e do grande Dom Paio Peres Correia que estiveram muito ligados à reconquista da cidade aos mouros. Por isso, esta igreja é tão mítica. Guarda um passado muito vasto da história desta pequena cidade de Tavira.
Esta Igreja tem várias capelas de origem manuelina, com azulejos do século XVII. Pode verificar-se uma decoração muito rica em painéis de azulejos e uma imagem de Nossa Senhora, do século XVIII.
Estivemos na zona onde o padre se prepara para a missa e onde estão os túmulos dos sete cavaleiros e de Dom Paio Peres Correia. Segundo o guia, ainda se desconhece se este herói de Tavira foi mesmo enterrado na nossa cidade. Suspeita-se que foi enterrado em Espanha. Mas, segundo o guia, o grande sonho de Dom Paio Peres Correia era ser sepultado em Tavira. Assim, continua o mito.
Ficámos a saber muito sobre a história desta Igreja que desconhecíamos e a importância que esta igreja tem para Tavira, porque retrata uma história da conquista de Tavira aos Mouros.
Na nossa visita ao Convento da Graça, fomos acompanhados por uma guia, que nos mostrou um antigo bairro, situado debaixo do Convento.
O convento, situado na parte histórica da cidade, destaca-se pela sua arquitectura. Aí situando-se até ao séc. XV a judiaria. Passaram por este convento muitos outros órgãos, o último foi uma unidade militar. Na passagem para a ENATUR, permitiu-se a exploração arqueológica.

Conclusão
Com este trabalho ficámos na posse de informações sobre dois monumentos históricos de Tavira, que são obviamente monumentos históricos nacionais.
Não sabíamos que estes monumentos retratavam uma história de guerra que teve sucesso para os portugueses.
Gostámos muito desta visita e esperamos também visitar outros monumentos históricos de outras cidades que tenham uma história tão vasta como estes dois monumentos que são falados no trabalho.
Curso Profissional de Técnico de Multimédia – 1º ano
Disciplinas: Português e História da Cultura das Artes
Professoras: Ana Matias e Sílvia Gonçalves
Alunos: David Oliveira, n.º 6 e Luís Santos, n.º 17

Apresentação de trabalho da Área de Projecto no Instituto de Ciências Sociais

No passado dia 29 de Maio de 2009, o dia começou muito cedo para nós, uma vez que tínhamos como fim apresentar no Instituto de Ciência Sociais, em Lisboa, o trabalho sobre a Eutanásia, seleccionado de um total de dez, da nossa escola, do curso de Ciências Sociais e Humanas. Embora sejamos um grupo constituído por quatro elementos, uma de nós, a Alícia Lopes, não pode ir, devido a assuntos de força maior.
Fomos no comboio das 7h00 para Lisboa, descendo às 10h00 na estação de Entrecampos. Aguardámos aí pela professora Anna Alba, que se mostrou extremamente simpática e agradável e sobretudo uma excelente guia turística. Levou-nos, então, a passear pela Avenida de Roma, bem como a conhecer aquela zona de Lisboa, e ainda o Campo Pequeno e a Avenida da Liberdade.
Como já eram 12h00 e como ainda tínhamos que almoçar, apanhámos o Metro para Entrecampos e continuámos o nosso percurso, a pé, até ao nosso destino. Depois de termos almoçado, revemos a nossa apresentação para que nada faltasse e fizemos os últimos acertos.
Finalmente, o relógio mostrava a hora do começo das apresentações: 14h30. Dirigimo-nos para o auditório do Instituto e procedeu-se ao sorteio para se ficar a conhecer a ordem das apresentações: primeiro, o grupo de Carnaxide com o tema Bullying, depois nós, e, por fim, o de Mafra com a Criação de uma Associação para apoio aos Imigrantes Brasileiros no concelho de Mafra. As outras escolas do projecto não participaram no concurso.
Após a apresentação do primeiro grupo, seguiu-se o nosso. Embora os nervos nos tocassem, a apresentação correu melhor do que esperávamos, pois ambas as professoras do ICS que nos estavam a avaliar acharam o trabalho teoricamente correcto e coerente. Quanto ao discurso oral, acharam-no claro e perceptível. Por fim, o grupo de Mafra apresentou o seu trabalho e, de seguida, as professoras que nos estavam a avaliar procederam à escolha do trabalho vencedor.
Após terem anunciado que a escola de Mafra tinha vencido, percebemos que o que importa não é o vencer, mas sim o participar e tentar fazer sempre melhor, pois o simples facto de termos estado lá presentes e termos tido esta oportunidade já foi importante para todas nós e, tal como uma das professoras disse: “ O facto de estarem aqui, já faz de vós vencedoras”.
No final das apresentações tivemos direito a um lanche, onde comunicámos com os restantes grupos e elementos do ICS. De seguida fomos, com a professora Fátima Pires até ao Colombo, onde passeámos pelas lojas e jantámos.
Finalmente, o nosso dia chegava ao fim. Eram 20h00 e, numa viagem de duas horas e meia, com a Prof.ª Fátima Pires, dirigimo-nos de volta para casa.
Esta ida ao ICS foi muito enriquecedora para todas nós, bem como importante e muito relevante para a aquisição de experiência para o nosso futuro.
Andreia Martins

Elsa Martins
Melisa Mendes