terça-feira, 14 de abril de 2015

VISITA DE ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA, 11ºA3



No dia 20 de fevereiro de 2015, a turma 11ºA3, no âmbito da disciplina de Biologia e Geologia, deslocou-se numa visita de estudo a Lisboa, mais concretamente a Oeiras e Paço d’Arcos, acompanhados pela professora da disciplina,  Augusta Carvalho, e pelos professores Alexandre Fernandes e Teresa Afonso.
Durante a manhã, a visita decorreu em Oeiras, nas instalações do ITQB - Instituto de Tecnologia Química e Biológica da Universidade Nova de Lisboa. Aqui foram mostradas aos alunos várias instalações, laboratórios e equipamentos específicos utilizados em investigação, bem como alguns dos trabalhos em curso nas mesmas. O ITQB oferece a cada grupo/turma visitar dois laboratórios de investigação. Foram-nos proporcionadas visitas aos seguintes laboratórios:
“Neurobiologia celular”, sob a orientação do investigador Federico Herrera,
(
http://www.itqb.unl.pt/research/biology/cellular-neurobiology), e 
“Controlo da expressão génica”, sob a orientação da investigadora Cecília Arraiano http://www.itqb.unl.pt/research/biology/coge.
Os investigadores explicaram a investigação avançada que aqui se faz e as suas aplicações.
 
Na parte da tarde decorreu a visita ao EMEPC, Estrutura de Missão para a Expansão da Plataforma Continental, em Paço d’Arcos. Foi mostrado e explicado aos alunos o atual território português, com base na proposta apresentada à Comissão de Limites da Plataforma Continental da ONU, em maio de 2009, expandindo o território da plataforma continental (área submersa). O mapa “Portugal É Mar” apresenta a realidade territorial portuguesa, contabilizando não só a sua área terrestre como também o seu território marítimo (ver mapa Portugal é Mar).
O EMEPC possui um R.O.V. (Remote Operated Vehicle),  ROV Luso, com o qual faz investigação dos fundos marinhos, quer na área de geologia quer em estudos de biodiversidade marinha. Os alunos tiveram a oportunidade de contactar directamente com este aparelho e observar por dentro o seu funcionamento e trabalho, bem como os recursos que num futuro se poderão vir a explorar dos fundos marinhos.

Para mais informações, consultar:

Ver também notícia:
 
                                                              A Professora Augusta Carvalho


Sem comentários:

Enviar um comentário