quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Inês Guilherme, vencedora de concurso de poesia


A Inês Guilherme, aluna do 10º ano turma C2, foi uma das concorrentes ao tema livre, grupo etário até aos 15 anos, do concurso de poesia promovido pela ACAT, em colaboração com a nossa BE.
A esta aluna, que já nos confidenciou que um dos seus passatempos preferidos é a escrita, foram atribuídos dois prémios. "Tiraste-me a luz que uso para pintar o vento" recebeu o segundo prémio, e "Meu pai" o primeiro. O terceiro prémio foi atribuído a João Amorim, aluno do ensino básico, com o poema "Joana".

Tema Livre, Primeiro prémio
Meu Pai

Não sei bem como nem porquê
Mas tudo aconteceu
Foi tudo muito repentinamente
Não sei porquê mas doeu
A minha âncora havia desaparecido subitamente
Tentava esconder secretamente
As lágrimas que corriam por dentro e por fora
Eu sabia que estava na hora...

Eu vi, eu reparei, eu chorei
Lágrimas de sangue
Desabaram a minha alma
Faziam-me correr para os lenços de papel
Para limpá-las, às lágrimas, que brilhavam no meu anel
Não consegui impedir...
Senti-me tão sozinha e mal
O sabor salgado das minhas lágrimas purificadas
Que desabafavam com a minha mente
Contavam-lhe suavemente
A dor e o sofrimento

As imagens faziam uma passagem de modelos
Passavam na minha mente como um pesadelo
Não queria que acontecesse
Apenas queria esquecer
Apenas o queria voltar a ver
Apenas o queria ter
Apenas posso sonhar
Com esse dia a chegar
Quero-te de volta
Meu pai.


Inês Guilherme, 10ºC2



Tema Livre, 2º prémio

Tiraste-me a luz que uso para pintar o vento

Tiraste-me a luz que uso para pintar o vento,
Tiraste-me o fogo com que expulso a dor,
Tiraste-me a voz e o meu sentimento...
Tiraste-me tudo, menos o preto em cor..

Deixaste-me só e em sofrimento
Deixaste-me só apenas com o pensamento
Deixaste-me só e deprimente.

Tiraste-me a luz que uso para pintar o vento
Tiraste-me a vontade e cai em esquecimento
Tiraste-me a alegria e o sorriso
Deixaste-me solidão e prejuízo.

Porque é que me deixaste?
Porque é que me marcaste?
Porquê?
Porque é que me tiraste tudo?

Não sei o que fiz
Não sei o que faço
Só sei que já sorri
E agora morri.

Tiraste-me a luz que uso para pintar o vento..
Faleci em esquecimento.


Inês Guilherme, 10º C2

Sem comentários:

Enviar um comentário